Guia de Streamings: Como escolher o que assinar se você ainda não é milionário

Afinal de contas, não estamos com tempo ou dinheiro sobrando.

Dinheiro não dá em árvore, nós ainda não conseguimos ganhar na Mega Sena acumulada e tampouco descobrimos um tio milionário que morreu e nos deixou uma fortuna. Enquanto isso, o desemprego e a crise batem recordes no Brasil e virou moda todo mês chegar uma plataforma de streaming nova querendo o seu dinheiro. As assinaturas podem atééé parecer baratas mas, de dez em dez reais, a fatura do cartão no fim do mês vai engordando sem a gente perceber. Por isso, a edição desta semana da Guerra do Streaming vem te ajudar a escolher o que assinar e como se manter em dia com os lançamentos, legalmente, sem gastar rios de dinheiro.

Share

1. Entenda o que cada plataforma oferece e o que combina com o seu gosto

O primeiro passo para escolher qual ou quais plataformas assinar é entender a diferença entre elas, o que cada uma oferece e qual se encaixa melhor naquilo que você busca de entretenimento.

Eu gosto de dividir as principais plataformas de streaming em três segmentos, que nomeei de acordo com o tipo de serviço oferecido1:

  1. Pipocão

    São as maiores plataformas, com grande variedade de conteúdo direcionado para toda a família ou vários públicos — se fossem um cinema, seriam um Cinemark ou um Kinoplex que tentam agradar a maioria. Aqui, se encaixam Netflix, Disney+, Prime Video, Telecine e HBO Go (em breve HBO Max).

  2. Wannabe cool

    São as plataformas secundárias, que não são exatamente essenciais ou recheadas dos lançamentos mais comentados do ano, mas volta e meia tomam os holofotes com um filme ou uma série que arrebata corações e, se você souber pesquisar, vai encontrar bons tesouros escondidos. Nesta categoria, encontramos AppleTV+, Globoplay, Starzplay e Paramount+. Em breve, teremos o Star+, da Disney, e ele provavelmente vai se encaixar por aqui também.

  3. Estação

    Estes são os serviços mais ‘sérios’, com catálogo que preza pela curadoria do conteúdo e pela experiência do entretenimento audiovisual de alta qualidade. Neles, você vai encontrar filmes selecionados de acordo com exibição em festivais, produções independentes, mostras de grandes cineastas e clássicos da Sétima Arte. Tipo um Cinema Estação, sabe? Nesta lista, estão Mubi, Belas Artes à La Carte, Oldflix.

    Subscribe now

A partir desta divisão em categorias, o ideal é fazer uma pesquisa mais detalhada dos conteúdos de cada plataforma para descobrir onde está aquele filme ou aquela série que você ama e qual deles você provavelmente consumiria com maior frequência.

As plataformas Pipocão são as que têm o catálogo mais extenso e com uma forte seleção de produções populares, então você provavelmente vai se interessar em priorizá-las, sobretudo se quer “de tudo um pouco” e “os lançamentos mais comentados”. As plataformas Wannabe cool têm uma vibe mais alternativa, volta e meia se destacam nas premiações e listas de melhores lançamentos do ano e têm aquelas séries que vão fazer você parecer antenado se chegar na rodinha virtual dos amigos falando sobre elas. Já as Estação são melhores para quando você estiver interessado em um catálogo mais requintado, com uma curadoria pensada de forma personalizada para a melhor experiência possível.

2. Defina quanto você quer gastar por mês com as assinaturas

Depois de conhecer o que as plataformas oferecem e o que há de diferente entre elas, é hora da parte dolorosa: conhecer os planos. Veja a lista com os preços das assinaturas de cada um dos serviços citados acima:

Netflix: R$21,90 a R$32,90
Disney+: R$27,90 por mês ou R$279,90 anual
Prime Video: R$9,90
Telecine: R$37,90
HBO Go: R$34,90
AppleTV+: R$9,90
Globoplay: R$22,90 por mês ou R$238,80 anual
Starzplay: R$14,90 (atualmente em promoção por R$9,90)
Paramount+: R$19,90
Mubi: R$27,90
Belas Artes à La Carte: R$9,90 por mês ou R$108,90 anual
Oldflix: R$12,90

O ideal é delimitar quanto você pode ou pretende gastar por mês. Se você tem o valor disponível para uma única assinatura, o melhor a fazer talvez seja escolher um dos Pipocões, até mesmo pela variedade maior de conteúdo. Se você tem dinheiro para dois, avalie a possibilidade de assinar plataformas menos badaladas, que oferecem boas oportunidades de você conhecer produções diferentes, que não estão no hype mas que são favoritas da crítica — ‘Normal People’, por exemplo, uma das melhores séries do ano passado (top 2 na minha lista), está disponível somente no Starzplay.

O melhor é realmente entender qual é a sua prioridade, e saber que qualidade e quantidade não são conceitos que caminham necessariamente juntos. A Netflix tem muitos conteúdos, e uma pesquisa recente demonstrou que o Brasil é um dos países que menos pagam por título diante do valor da assinatura e da quantidade de filmes e séries disponíveis no catálogo. Mas um HBO Go oferece uma experiência diferente, e seu forte é contar com uma grande seleção de séries consagradas, como ‘Família Soprano’, ‘The Wire’, ‘Six Feet Under’, ‘Sex & the City’, ‘Girls’, ‘Watchmen’, ‘Insecure’, ‘Succession’, ‘Years and Years’, ‘True Blood’, ‘Angels in America’, ‘Band of Brothers’, ‘Boardwalk Empire’, ‘Enlightened’, etc, etc, etc. O Telecine, por outro lado, não tem séries no catálogo, mas tem trazido cada vez mais lançamentos exclusivos e conta com um ótimo acervo bem organizado em cinelistas, de clássicos do cinema a comédias românticas a longas premiados.

Share Guerra do Streaming

3. Faça um rodízio

Uma boa tática é fazer um rodízio de assinaturas, já que é possível fechar a sua conta em qualquer serviço e depois reabri-la a qualquer momento sem burocracias. Então, por exemplo, você pode escolher um mês para conhecer o catálogo do AppleTV+, pagar a mensalidade (R$9,90) e desfrutar dos conteúdos2 que mais lhe agradarem dentro desses 30 dias. No mês seguinte, você pode investir em um Starzplay3 e assim por diante, variando conforme a sua disponibilidade financeira e o seu tempo.

Lembre-se que todos estes catálogos contam com mais produções do que você seria capaz de assistir, e a intenção com essa grande quantidade de conteúdo é justamente criar no usuário a sensação de F.O.M.O. (fear of missing out, em inglês, ou simplesmente medo de ficar de fora). Isso faz com que você sempre esteja ansioso para consumir o que virá em seguida para não ficar perdido nas conversas, e mergulhe de cabeça neste ciclo que ajuda a intensificar a ansiedade e aquela sensação de que não temos tempo para mais nada. Por isso, é importante ter discernimento e calma. Você não precisa de três assinaturas de streaming ativas o tempo todo se à noite você não usa nenhuma delas.

4. Compartilhe contas com amigos e/ou família

Esta é uma tática que vale ouro. Uma assinatura da Netflix dá direito a 5 perfis. A do Disney+, 7. E assim por diante. Portanto, é perfeitamente possível você dividir as contas com um grupo de amigos ou familiares, para todo mundo ter acesso a uma variedade maior de conteúdo sem que cada um precise gastar individualmente por todos eles. Se você tiver 5 amigos, dá pra dividir as assinaturas de 5 plataformas e cada um pagar o equivalente a uma só.

Eu, por exemplo, divido com as minhas irmãs. Cada uma assina um ou dois e nós compartilhamos as senhas.

Ou seja: tenha pessoas na sua vida! Dica importante!

5. Utilize o período gratuito

Todos os canais de streaming oferecem um período de teste, em que você pode acessar o catálogo de graça para fazer sua avaliação do serviço. Normalmente, este período fica entre 7 e 14 dias, mas já é o bastante para ver uns filmes, umas séries e testar a usabilidade técnica da plataforma — este é outro requisito importante na hora de escolher o que assinar. Eu amo o catálogo da HBO, mas acho o aplicativo do HBO Go péssimo.

Então, faça uso deste período de teste, mesmo se você não tiver interesse ou condições de fazer assinatura naquele momento. Um bom truque é ficar de olho nas datas de lançamento das próximas produções originais que forem do seu interesse e usufruir deste período gratuito justamente para conferi-las. É só lembrar de cancelar a assinatura com o fim deste período gratuito, uma vez que a renovação é automática. Mas saiba que você pode voltar a qualquer momento, se tiver vontade.

E, por último, mas não menos importante…

Share

6. Existe um mundo maravilhoso do AVoD

AVoD é a sigla para Ad-supported Video on Demand. São serviços de streaming que não dependem da sua assinatura, faturam através de anúncios e são gratuitos. Alguns deles têm uma variedade maior de conteúdo que outros, mas todos saem da rota do óbvio de uma forma ou de outra e sempre vale a pena dar uma olhada nos catálogos para conferir as novidades ou aqueles filmes que você só encontraria em festivais de cinema. Saudades.

Alguns deles são Crunchyroll4, Pluto TV, Sesc Digital e Spcine Play. Cada um oferece seleções com propostas bem diferentes, o Sesc Digital e o Spcine Play particularmente oferecem ótimas rotas alternativas para o mainstream.

***

🔥 Small Axe: A série de filmes de Steve McQueen está no Globoplay. Dos cinco filmes, os três primeiros já estão disponíveis, e os seguintes serão lançados nas próximas sextas-feiras. Olho em ‘Lovers Rock’!

🔥 O Fio da Memória: O documentário de Eduardo Coutinho de 1991 está disponível no Sesc Digital e trata-se de um registro do centenário da abolição da escravatura e uma reflexão sobre o espaço do negro na cultura brasileira. // Assista.

Leave a comment

1

Nos exemplos citados, estão apenas os serviços pagos. Mais à frente você verá uma lista de serviços de streaming gratuitos.

2

O bom do catálogo do AppleTV+ é que ele não é muito extenso, então dá para investigá-lo bem rápido. E o conteúdo, em geral, é muito bom. ‘Boys State’, ‘The Morning Show’, ‘Dickinson’, ‘Servant’, ‘Home Before Dark’, ‘For All Mankind’, ‘Ted Lasso’, ‘Mythic Quest: Raven’s Banquet’, ‘Wolfwalkers’ e ‘Palmer’ são algumas das dicas.

3

‘Normal People’, ‘The Spanish Princess’, ‘Castle Rock’, ‘The Act’, ‘High Fidelity’, ‘The Great’, ‘Gangs of London’, ‘The White Princess’

4

O Crunchyroll oferece acesso gratuito e também opções premium, com valores de assinatura específicos para cada plano.